Divino Guia fala sobre o vinho Domínio Vicari

Pessoal,

Confiram o texto de Álvaro Cézar Galvão (Sommelier de São Paulo/SP), extraído do Divino Guia. Abaixo segue o link do blog, caso queiram conferir direto na fonte.

"Meninas e meninos,

Todos sabem que eu tenho feito tudo ao meu alcance para mostrar que os vinhos Brasileiros estão melhorando, e rápido, em sua técnica de vinificação, com cepas adequadas e ambientadas aos terroirs, armazenagens competentes, enólogos já a maioria em sua terceira geração e bem formados com cursos e especializações, ale, das trocas de experiências nas mais adiantadas partes vinícolas do mundo. Pois bem, dia destes, fiquei sabendo, e agora já nem me lembro mais, de que forma, que uma vinícola em Santa Catarina fazia excelentes vinhos.

De toda a sorte, o que é do homem, o bicho não come, como diz o ditado, e consegui provar um dos vinhos desta vinícola.
Estou falando da Domínio Vicari, onde Lisete Vicari, e seu filho, o enólogo e responsável pela parte técnica José Augusto Vicari Fasolo, trabalham a uva Riesling Itálico, dentre outras. Provei o Riesling Reserva 2008, e aqui cabe uma explicação sobre o Reserva: Este vinho não passa por madeira, além de não receber sulfitos para conservação, então tenho que admitir que o “Reserva” seja em razão de sua qualidade, espero que a Lisete ou o José Augusto me expliquem.

Bem, o vinho em minha análise é ótimo!
Como não é filtrado, a tendência é que o vinho seja algo mais turvo, mas não é o caso deste exemplar que degustei, estava límpido e transparente, com uma bela cor amarelo palha com tons verdeais. Olfato diferente dos Rieslings que provei anteriormente, o que para mim é óbvio, já que sua maneira de vinificação, sem conservantes e sem filtração, além do terroir também o é; a propósito, as uvas são oriundas do Vale dos Vinhedos, da própria família que as plantas há mais de cem anos, desengaçadas à mão, e depois transportadas para a Praia do Rosa, onde passam por pisa à pé, e só por mulheres (EU SABIA QUE TINHA ALGUM SEGREDO NESTE VINHO, QUE O DEIXA ENCANTADOR).

Frutas e floral em abundância, senti maçãs verdes, pêras, abricot, e um frescor penetrante nas narinas, como uma lufada de ar fresco (nunca havia sentido o que descrevo agora). Boca muito agradável, e ai senti algo mineral, próprio desta cepa, confirmando frutas, mas agora algo cítrico, bom corpo, ótima acidez e bem integrada ao álcool com apenas 10º GL. Como sempre, degusto e penso na gastronomia, e para acompanhar este belo vinho, um bacalhau ao forno, com batatas e azeite, sem exageros em temperos, ficou ótimo! Sua produção é em torno de 1000 garrafas, e eu degustei uma delas. De gustibus non disputandum est (gosto não se discute): EU GOSTEI! Até o próximo brinde!"

Por Álvaro Cézar Galvão, dia 29/04, às 11:11, no Blog Divino Guia (http://divinoguia.blogspot.com).

3 comentários:

  1. Lili,

    mais uma vez PARABÉNS!
    Aos poucos as verdades e valores das coisas vão aparecendo, e contra elas não há nada que possa ser feito!

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada meu amigo!
    A batalha é grande, mas vamos em frente!
    Sabemos o que estamos fazendo!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Caara maiga LIZETE
    Os muitos afazeres que tanto à Lizete como a mim próprio nos ocupam as 24 horqas do dia tornam mais raras as nossas visitas.
    Vim agora visitar os dois cantinhos de partilha. Se no primeiro se nota alguma inércia, já este segundo e bem agradável blogue nos fala dos exitos e compensações pelo seu (vosso) excelente trabalho enquanto vinicultores.
    Só posso rejubilar com o que aqui vejo e leio.
    Parabéns Lizete, toda a família deverá estar feliz com o exito alcançado pelos seus vinhos com assinatura.
    Votos de muita saúde
    Bjs
    G.J.

    ResponderExcluir